Os verdadeiros Heróis do Rio Sorraia

Efectuamos uma visita ao Rio Sorraia para verificar os trabalhos de remoção dos jacintos-de -água, felizmente já são bem visíveis novas áreas de rio, graças aos trabalhos já feitos, agradecimento especial aos heróis do Rio Sorraia.

Ao chegar ao local deparamos-nos com autênticas montanhas de Jacintos a secar na margem do Rio Sorraia, todos retirados através do trabalho incansável dos operadores das máquinas que a Associação de Regantes disponibilizou para este local, aqui só está uma máquina, apesar disso, foi-nos dito que mais iriam chegar para aumentar a eficiência do trabalho.

Heróis do Rio Sorraia

Heróis do Rio Sorraia

Estão dois barcos na água, pertencentes aos bombeiros de Benavente e de Samora, estes são os verdadeiros heróis do Rio Sorraia e da nossa era e civilização, sempre prontos a dar tudo o que têm para salvar o que outros deveriam ter cuidado ao longo dos tempos. A minha descida para o barco dos bombeiros de Benavente é mesmo como eu gosto… Radical.…  
Penduro-me do cesto da retroescavadora e lá vou eu.

heróis do rio sorraia

No barco dos bombeiros de Benavente estão amigos de longa data, o Jorge Carvalho e o Pontes, no dos bombeiros de Samora também estão caras conhecidas.
Estes sim homens simples, mas com um valor ilimitado começaram uma luta de David contra Golias, e apesar de estarem a dar tudo o que têm e não têm, serão necessário muitos mais como eles para se poder ter a esperança de levar a bom termo esta luta.
Acompanhei a técnica que utilizam para ir separando as plantas umas das outras, e as encaminhando para o braço da retroescavadora… que luta, que trabalho…

Heróis do Rio Sorraia

No entanto serão necessários mais meios humanos, materiais e temporais para se conseguir realmente travar esta luta, pois temo que tal como está a ser feito e com os recursos atuais, o manto verde continue a crescer…

Heróis-rio-sorraia

Olhando para o futuro, esta luta só valerá a pena se existirem estratégias para aproximar a população do rio, será insensato pensar em praias fluviais e passadiços para o Rio Sorraia? Eu penso que não, aliás essa é uma das miragens que o Rio Sorraia me mostra… espero que não seja só a mim.

Para terminar, alerto, apesar do meu conhecimento nesta área ser apenas de senso comum… Chamo atenção para o elevado número de diques que o Rio Sorraia tem, facto que prejudica o normal caudal do mesmo e danifica em muito o normal “funcionamento” do ecossistema…não concordam?

José Pastoria

1 comentário em “Os verdadeiros Heróis do Rio Sorraia”

  1. Acho assinalável o trabalho que está a ser feito, apesar de ser numa altura crítica, quando a dimensão da cobertura é enorme e, como eu sei a profundidade a que costumam chegar as raízes e a dificuldade que há em levantar (retirar os jacintos) leva muito tempo, o trabalho é vagaroso e logo que comece a chover pode haver ainda maior dificuldade.
    De qualquer modo, é trabalho que não pode parar, pois os jacintos têm enorme capacidade de reprodução e de imediato voltam a crescer e a mancha continua.
    A caminhada prevista é uma boa jornada para dar a ver aos participantes o que se passa, basta uns km para sensibilizar, mas o mais importante é ganhar massa crítica activa, de cidadania, para exigir a solução, porque o(s) rio(s) morre(m) com esta praga, e o que se quer é rios limpos e livres.
    Os diques, certamente construídos para facilitar as regas, são construções que contrariam o conceito de rio livre. Decerto haverá represas, e isso contraria o curso normal do rio, ajudando a formar condições para o crescimento dos jacintos. Além disso, por essa via, o rio passa a ser um canal de rega, ou seja, serve só um grupo de interessados, que se acham com direito a isso, com o peso negocial da sua actividade no tecido económico da região.
    Como compatibilizar interesses, mas com respeito pela ideia principal de que “o rio deve ser rio livre” e não para uso-fruto somente de alguns, é a meu ver o objectivo fundamental. E, nesse sentido, acho muito correcto que as populações envolventes queiram saber do presente e do futuro desse grande afluente do Tejo e que, também com esse objectivo, as suas margens possam ser usufruidas por quem quiser percorrê-las, para caminhas, pesca amadora e/ou desportiva, assim como o rio pode ser usado para canoagem, local de recreio, de confraternização e outras actividades, sem pôr em causa as actividades de outro tipo, de produção agrícola e / ou outras, sem haver conflitos de interesses.
    Vou acompanhando com muito interesse o que se passa no Sorraia, um afluente do Tejo que me diz muito.
    Manuel Sá.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *